Un beau jour. Ou était-ce une nuit?

Uma belo dia, um homem decidido a refazer sua vida, caminha em direção ao banco de uma praça no Leblon. Disposto a retomar o curso de sua vida, ele senta-se sob o firmamento.  Sua mente, um verdadeiro rodamoinho de sensações, lhe remete à lembranças que ele tenta esquecer.  Em vão. Ele lamenta suas dores consigo mesmo e divaga sobre o por quê, quando e como, esta lhe fugiu o controle. Conclui que parte de sua vida, doada, precisa ser reestabelecida e, tomada de volta. Ali, do mesmo ponto em que parou.

Um homem, uma vida, uma ruptura, em um mar de sensações.

Uma bela noite, um homem de nome comum, disposto a refazer a sua vida, caminha em direção à uma praça no Leblon. Disposto a retomar o curso de sua vida, e a esquecer o paraíso mal construído, suas estórias mal escritas, em cadernos amarelados. Ele não lamenta.  Em sua mente uma nova esperança lhe permite redesenhar o futuro que sempre sonhou para si. Desta vez com mais sorrisos.

Um homem, uma pagina em branco, em um mar de sensações.

À distancia, eu ouço seu coração bater.

Anúncios